terça-feira, 31 de agosto de 2010

HISTÓRIA DA ASTROLOGIA - A IDADE MÉDIA



(...Continuação)

Segundo os historiadores, o período que vai, aproximadamente, desde o início do século XI ao final do século XIII foi particularmente negro para a astrologia. De facto, diz-se que quase deixou de ser usada no Ocidente. Contudo, isso não é verdade – sobretudo no campo da astrologia médica.

A PESTE NEGRA E A ASTROLOGIA DA CORTE
Durante muitos séculos, o estudo da medicina esteve intrincadamente ligado ao estudo da astrologia. De facto, até finais do século XVIII, ainda era impossível alguém tornar-se médico sem passar num exame de astrologia e era vulgar usar as posições planetárias no diagnóstico e tratamento.
A Peste Negra de meados do século XIV ilustra essa ligação. Enquanto aquela devastava a Eurásia, matando cerca de 25 milhões de pessoas só na Europa, os astrólogos começaram a publicar a sua opinião acerca da causa. O Rei Filipe VI solicitou à Faculdade de Medicina da Universidade de Paris a sua opinião sobre a origem da praga. Enquanto outros astrólogos culparam o eclipse lunar total de 18 de Março de 1347 (os eclipses eram sempre considerados malignos), a Faculdade defendia que a tripla conjunção de Marte, Júpiter e Saturno em Aquário, em Março de 1345, era responsável pela “corrupção perniciosa do ar envolvente, bem como outros sinais de mortalidade, fome e outras catástrofes.” Era uma teoria fundamentada que melhorou imenso a reputação da astrologia.
É de referir que nessa e noutras épocas de praga posteriores, os astrólogos serviram corajosamente o público usando os seus conhecimentos de medicina. Tanto os médicos amadores como os profissionais ficavam muitas vezes com os doentes, em vez de fugir do contágio.

ASTROLOGIA MÉDICA
Por esta altura, as diversas teorias da astrologia já tinham sido bem exploradas.
Baseavam-se não só no “Homem Zodíaco”, mas na teoria antiga dos “humores” – sangue, fleuma, cólera e melancolia – que devem manter-se em equilíbrio para a pessoa permanecer saudável.
A posição da Lua era muito importante, sobretudo quando um cirurgião estava prestes a sangrar um paciente – e o sangramento era considerado a cura milagrosa para quase todas as maleitas, pois ajudava a repor o equilíbrio com os outros humores. Não devia ser feito quando a Lua ocupasse o signo do Zodíaco que governava a parte do corpo que estava ferida ou a causar doença – por exemplo, se a Lua estivesse em Escorpião, seria uma loucura sangrar as virilhas (a área corporal de Escorpião). O sangramento era fácil na Lua Cheia, mas demorava séculos na Lua Nova (algo que se verificou, incidentalmente, nas transfusões sanguíneas do século XXI).
Tudo isso se sabia há séculos – como se vê pelos escritos dos astrólogos que, pelo início do século VIII, começaram a sair da sombra: por exemplo, Aldhelm (639-709), que escreveu tratados sobre o assunto, e Alcuíno, (732-804), que se tornou amigo e conselheiro do imperador Carlos Magno, A Igreja em Inglaterra interessava-se especialmente pelo assunto e muitas igrejas tinham belos Zodíacos – a Abadia de Croyland, por exemplo, tinha um com Júpiter representado a ouro, Marte a ferro, o Sol num metal amarelo semelhante a latão e Mercúrio a âmbar.

Parte da Tapeçaria de Bayeux - Retrata o cometa Halley, visto como mau presságio para o rei Harold


ASTROLOGIA DA CORTE
Guilherme, o Conquistador, pediu ao seu astrólogo que definisse o momento da sua Coroação – ao meio-dia do dia de Natal de 1066 – que é usado por muitos astrólogos modernos como “hora do nascimento” da Inglaterra.
A morte do rei Harold tinha sido prevista anteriormente através da aparição de um cometa – evento representado na tapeçaria de Bayeux, com um astrólogo preocupado a anunciar a sua presença ao malfadado rei.
Talvez o maior erudito inglês do século XI tenha sido Adelard (ou Ethelhard), que escreveu livros sobre astronomia e alquimia e traduziu vários textos astrológicos árabes que explicavam ao leitor como traçar um mapa. Ele acreditava que os planetas eram “animais superiores e divinos” que eram “as causas e o princípio das naturezas inferiores” e que aquele que os estudasse poderia perceber o presente e o passado e prever o futuro.
Adelard defendia a importância da astrologia no estudo da medicina e garantia que isso contribuía para a formação de médicos melhores do que “o médico tacanho que não tem em conta outros efeitos para além dos da natureza inferior”.
Havia eruditos menos entusiastas. Um dos primeiros a distinguir astrologia de astronomia foi William of Conches – que tinha viajado imenso antes de se ligar à corte de Geoffrey Plantageneta, onde foi professor do futuro rei Henrique II de Inglaterra. Os astrólogos, dizia, tratavam os fenómenos celestiais de acordo com o que eles pareciam ser, quer tal fosse exacto ou não, enquanto os astrónomos tratavam as coisas como elas eram, mesmo que não o parecessem.

A ASTROLOGIA E A IGREJA
Contudo, William of Conches estava sozinho. Durante o século XII, chegaram ao Norte da Europa numerosos textos astrológicos em latim. O estudioso Gerard of Cromona (1114-87) traduziu mais de 70 livros, entre os quais o Almagesto de Ptolomeu e obras de Aristóteles até então desconhecidas.
A Igreja não restringiu a propagação dos conhecimentos astrológicos: afinal, muitos eclesiásticos importantes estavam convencidos de que Deus tinha posto as estrelas e os planetas no céu por alguma razão e estavam tão desejosos de teorizar sobre o assunto como os outros.
Os maiores eruditos, como Roger Bacon (1214-92), Albertus Magnus (1200-74) e S. Tomás de Aquino (1225-74), participaram todos no debate e não puderam deixar de concordar com Robert Grosseteste (1175-1253): “a natureza inferior não realiza nada a não ser que o poder celestial a mova e a conduza da potência ao acto.” No fim de contas, tudo o que podiam fazer era chegar a um meio-termo: Berthold of Regensburg (1200), por exemplo, estava certo de que “tal como Deus deu poderes às pedras, às ervas e às palavras, também deu poder às estrelas, que têm poder sobre todas as coisas excepto uma…Sobre essa coisa, nenhum homem tem poder, nem força, e também não o têm as estrelas, nem as ervas, nem as palavras, nem as pedras, nem anjo, nem diabo, nem qualquer homem, mas apenas Deus; é o livre arbítrio do homem.”

ASTROLOGIA E SOCIEDADE

Em épocas menos infelizes do que a da Peste Negra, as pessoas comuns pouco ouviam falar de astrologia, embora por vezes fossem afectadas pelas previsões astrológicas. Em 1186, por exemplo, lançou-se o pânico entre os Ingleses devido à aproximação da conjunção de planetas em Balança; em muitas igrejas, realizaram-se cerimónias para convencer Deus a dominar os planetas e mitigar o desastre. Ele terá ouvido as preces, pois não houve qualquer desastre.
Com a realeza e a nobreza da Europa, era diferente: todos consultavam astrólogos. No século XII, há registo do primeiro astrólogo cortesão importante desde a época romana – Michael Scot, que, quando morreu cerca de 1230, era astrólogo do imperador romano Frederick II. Scot era venerado como “áugure, adivinho, um segundo Apolo” e fez um bom trabalho sobre, por exemplo, os efeitos da Lua sobre a menstruação. Também estudou o modo como posições diferentes (de acordo com as regras planetárias) durante a cópula produziam efeitos diferentes na concepção. Após o casamento de Frederick e Isabella, irmã do rei Henrique III da Inglaterra, o casal recusou-se a consumar o casamento até Scot calcular “a hora adequada.”
Guido Bonatti foi um astrólogo cortesão ainda mais importante. Dante descreve-o como um dos sofredores da quarta divisão do oitavo círculo do Inferno – que está entre os espíritos que durante a vida passaram demasiado tempo a tentar prever o futuro e agora estão condenados a deambular com a cabeça virada para trás. Bonatti professor na Universidade de Bolonha, fez uma bela carreira como conselheiro dos príncipes europeus: entre outras coisas, colocava-se nas muralhas de um castelo e, no momento favorável, tocava um sino para anunciar a hora de sair para a batalha. Não era muito modesto nas suas pretensões: “O astrólogo sabe todas as coisas: tudo o que aconteceu no passado, tudo o que acontecerá no futuro – tudo lhe é revelado, pois ele conhece os efeitos dos movimentos celestiais passados, presentes e futuros e por isso sabe o momento em que actuarão e os efeitos que deverão produzir.”
Nos séculos posteriores, poucos astrólogos estariam preparados para afirmar o mesmo.


(Continua…)
Texto do livro – “ASTROLOGIA” – Júlia e Derek Parker



sexta-feira, 27 de agosto de 2010

O EFEITO DOS PLANETAS RETRÓGRADOS






Lembrei-me de publicar este pequeno post, em virtude do anterior - EFEITOS DOS TRÂNSITOS NAS CASAS - (Clicar), não ter saido no Reader nem nos blogs. Mercúrio está retrógrado em Virgem, na minha casa 10. Espero que o Sr Mercúrio não tenha visto este post e o deixe circular :)

O movimento retrógrado retarda as coisas. Este tipo de movimento pode significar que um planeta atravessa até três vezes o mesmo ponto, intensificando assim o processo relacionado com aquele planeta.
Há três oportunidades para perceber o desafio ou o benefício do trânsito. Primeiro, a crise inicial é vivida; segundo, à medida que o planeta em trânsito vai “recuando” através do planeta transitado, a percepção aumenta e a acção tem início; finalmente, quando o planeta volta a andar para a frente, a solução é encontrada e a crise resolvida.
Quando um planeta se torna retrógrado, “estaciona”, ou seja, dá a impressão de ficar parado uns instantes sobre um determinado grau. Se este grau for sensível, o efeito do trânsito estacionário será intensificado.







EFEITOS DOS TRÂNSITOS NAS CASAS



Quando um planeta transita uma casa, os assuntos dessa casa são estimulados e influenciados pela energia desse planeta durante o período de trânsito, sobretudo se um planeta na casa estiver em aspecto com o planeta em trânsito.
Vou apenas deixar aqui algumas dicas para nos ajudar a ter uma ideia do que se passa no nosso dia-a-dia ao olharmos o nosso mapa e observarmos os planetas em trânsito e não pensarmos que a astrologia é “Chinês”. Talvez assim, seja mais fácil seguir os astros e as pistas que eles nos dão.
TRÂNSITOS COM A 1ª CASA – São bastante sentidos uma vez que estimulam a interacção entre o EU em desenvolvimento e o exterior.
TRÂNSITOS COM A 2ª CASA – Estimulam questões ligadas a valores pessoais, dinheiro e património.
TRÂNSITOS COM A 3ª CASA – Afectam a comunicação ou valores contratuais e os irmãos, embora possam reflectir-se na educação e motivar viagens curtas.
TRÂNSITOS COM A 4ª CASA – Podem sugerir uma mudança física, ou pôr em evidência questões de paternidade, mas também podem incidir sobre eventos interiores psicológicos.
TRÂNSITOS COM A 5ª CASA – Estimulam questões de criatividade e romances, podendo também afectar os filhos e o lazer. Neste trânsito uma nova actividade pode ser iniciada.
TRÂNSITOS COM A 6ª CASA – Reflectem questões de saúde e do bem-estar.
TRÂNSITOS COM A 7ª CASA – estimulam os relacionamentos em geral, podendo sugerir casamento ou divórcio. Este trânsito pode também indicar a existência de conflitos latentes.
TRÂNSITOS COM A 8ª CASA – Reflectem-se heranças e questões relacionadas com recursos partilhados, podendo também envolver mortes e interrupções.
TRÂNSITOS COM A 9ª CASA – Podem afectar profundamente as convicções, motivando a pessoa para uma educação de nível superior ou para uma viagem longa.
TRÂNSITOS COM A 10ª CASA – Estimulam a carreira e a ambição.
TRÂNSITOS COM A 11ª CASA – Interferem com a interacção social e com responsabilidades colectivas, podendo indicar o começo de uma nova amizade.
TRÂNSITOS COM A 12ª CASA – Podem trazer à luz segredos ocultos ou provocar contactos com instituições.
A pouco e pouco tentarei falar nos planetas em trânsito em cada casa, bem como os aspectos com os planetas natais.




segunda-feira, 23 de agosto de 2010

CASA VI



Casa de Virgem e de Mercúrio
Esfera – Serviço
Polaridade – Feminina
Elemento – Terra
Qualidade – Mutável
Posição – Cadente

Palavras-chave – Saúde, dieta, serviço, emprego, altruísmo, trabalho de equipa, colegas de trabalho, animais de estimação, eficiência, vocação, rotina diária.

A 6ª Casa diz respeito ao trabalho duro e à metodologia detalhada, necessária para criar aquilo que foi criativamente imaginado na 5ª Casa (clicar aqui).
A 6ª Casa, os planetas que a ocupam, o regente da casa e os seus aspectos, irão revelar muito sobre a atitude do indivíduo no trabalho, a sua capacidade para desempenhar tarefas úteis e a sua habilidade para utilizar a mente de maneira prática.
Esta casa está relacionada com a saúde, dietas, preparação de alimentos, o exercício, e portanto tem uma grande influência no nosso bem-estar geral. É uma casa verdadeiramente holística: a saúde reflecte harmonia interior, ao passo que o mal-estar indica desarmonia.
É na 6ª Casa que tomamos consciência dos outros. Associada a Virgem, é onde talentos e aptidões inatas são usadas de forma positiva e onde se definem as vocações.
O signo e planetas posicionados nesta casa indicam até que ponto uma pessoa é capaz de agir de forma altruísta. O Sol posicionado na 6ª Casa, por exemplo, sugere uma vida dedicada ao serviço, embora seja o signo que determina se tal serviço será passado num hospital, numa loja, numa repartição pública ou numa instituição de solidariedade.
Esta casa abrange também os colegas de trabalho, indicando quão bem uma pessoa se consegue integrar no grupo e como é que o trabalho será organizado e levado a cabo. Sem um forte sentido do “EU”, as fronteiras tornar-se-ão elásticas e deixa de haver separação entre “tu” e “eu” no local de trabalho. Se as fronteiras pessoais forem demasiado fortes, torna-se impossível haver cooperação e o isolamento é inevitável.
A 6ª Casa mostra-nos também a nossa rotina diária de trabalho – o que temos de fazer, seja numa carreira muito ocupada, ou na gestão de um lar e na criação de uma família. A partir desta casa pode saber-se até que ponto o indivíduo é disciplinado e sistemático – se é um escravo da rotina ou vítima da desorganização.
Os livros antigos de astrologia, incluíam nesta casa os criados. Hoje em dia, dizemos que esta casa governa a nossa atitude para com as pessoas que chamamos para nos ajudar: o canalizador, o mecânico que nos arranja o carro, o electricista, a decoradora, etc. Os trânsitos e progressões nesta casa tratam de todos estes assuntos.
Também os animais de estimação que acompanham a nossa vida quotidiana estão confinados nesta casa. Um animal de estimação pode servir de “gancho” para as mais diversas projecções, e para algumas pessoas, a sua relação com um cão ou um gato é tão importante como a que mantêm com qualquer ser humano. Em certos casos um animal querido, alivia a sensação de solidão ou um insuportável sentimento de inutilidade.





quinta-feira, 19 de agosto de 2010

LUA NATAL NOS SIGNOS



A Lua nos signos do Zodíaco indica o tipo de reacção emocional imediata às situações da vida.
A posição da Lua também mostra o tipo de atitudes incutidas no indivíduo pela família durante a infância. Mostra como as primeiras experiências afectaram as reacções emocionais. Determina como a pessoa provavelmente irá reagir às influências externas e acções dos outros.
É importante para determinar como a pessoa conduz a sua vida familiar e o tipo de relação que tem com a mãe r com as mulheres em geral.
Pode indicar como o indivíduo reage ao público. Sugere também, as atitudes nos assuntos diários e domésticos. A posição da Lua também é um indicador dos hábitos e preferências alimentares.
O fluxo das qualidades da Lua é canalizado pelos aspectos positivos entre esta e o Sol e/ou o planeta regente do mapa; bem como, bons aspectos de um trigono ou, em menor grau de um sextil, entre a Lua e o planeta que rege o signo que a Lua ocupa. Enquanto uma conjunção confere muita força no signo da Lua e à sua posição na casa. Os aspectos negativos são em geral obstrutivos.

domingo, 15 de agosto de 2010

O RETORNO DE SATURNO




É uma altura em que leva a vida muito a sério. Questiona decisões importantes e compromissos que fez no passado, tais como a escolha da carreira, o lugar de residência, o casamento e outras decisões importantes. Este é um tempo para a auto-análise e questionamento acerca da direcção que tomou na sua vida.
A forma em que esta influência astrológica o afecta, pode variar enormemente, dependendo de como se sente acerca do compromisso que fez. Sente-se mais velho e mais maduro agora e vê muitas das etapas anteriores da sua vida como uma época despreocupada e pueril. Olhando para o passado, certamente pode ver coisas que faria de maneira diferente.
Se globalmente está satisfeito com as decisões tomadas, então este é um período em que estará planificando actividades que lhe irão trazer maiores responsabilidades do que as que teve até este momento. Por exemplo, poderá decidir casar-se, ter filhos ou ter um trabalho com mais responsabilidades. Tudo isto será mais fácil de fazer para si, devido a que se sente mais responsável e estável.
Poderá não introduzir mudanças agora, mas ao menos pensará profundamente sobre estes assuntos e provavelmente tomará as decisões finais e fará planos para introduzir essas mudanças num futuro próximo. Poderá por exemplo, iniciar uma séria pesquisa em busca de um novo emprego, ver uma forma de poupar dinheiro e fazer outros preparativos para as responsabilidades que assumirá num futuro próximo.
Se se sente muito insatisfeito com as decisões mais importantes que tomou no passado, então este é um período difícil. Sente a necessidade urgente de voltar à “estrada”. Poderá ter de iniciar o difícil processo de terminar o seu casamento, dissolver velhas amizades etc. Pode sentir-se oprimido com arrependimentos e sentimentos negativos sobre você mesmo.
Concentre-se em romper os velhos padrões e compromissos que fez. Uma vez que isso seja resolvido, estará em melhores condições de ser capaz de ver os novos passos que devem ser dados e sentir-se muito melhor com a sua vida e consigo mesmo.
Este é um período de séria meditação e auto-análise em relação à direcção da sua vida. Talvez necessite estar só por um tempo para ponderar a sua situação de forma a poder tomar sábias decisões. Também é possível que sinta a pressão de muitas obrigações na sua vida diária. Poucas portas se abrem para si neste momento e muitas outras se cerram.
Na verdade, é o início de um ciclo de aproximadamente vinte e nove anos e meio, você tem 28-30 ou 58-60 anos. Este período é importante e as mudanças, decisões e atitudes que desenvolva agora, terão um grande impacto sobre o próximo ciclo de 29 anos.


Aos leitores recomendo para visitarem o Bog Cova do Urso onde poderão ler um texto magnífico sobre relacionamentos - OS RELACIONAMENTOS





quarta-feira, 11 de agosto de 2010

COMO AMA O HOMEM DO SIGNO TOURO




(...Continuação)



O homem Touro, que ama a vida, também ama o amor. É um sensual que deprecia os incapazes que não se esforçam por oferecer a uma mulher todo o prazer que ela merece. Relaciona-se com ela como um intérprete com o seu violoncelo, com fervor, eficácia e gratidão. O amor, como vemos, ocupa um lugar muito importante na sua vida.
Na sua juventude esvoaça um pouco, com avidez e curiosidade insaciáveis. Mas um belo dia decide construir algo, formar um lar e, tratando-se disto, Touro não brinca. A sua mulher e os seus filhos são sagrados para ele. Escolhe com cuidado, nisto também sem pressas inúteis. Avalia as vantagens e inconvenientes e depois toma a sua decisão. Se se lhe deparam obstáculos, derruba-os.
Entrega-se para alcançar a felicidade e espera ser pago da mesma forma. Se supera o seu egoísmo, é um amante devoto, trabalha com empenho e tenta que a sua mulher tenha uma vida o mais agradável possível. Em contrapartida, pede-lhe uma entrega total e fidelidade. Se a mulher tem um passado, não convém mencioná-lo à frente dele, por mais que diga o contrário.
Touro pede à mulher que se ocupe dos filhos, que o alimente decentemente e que tenha em conta os seus gostos. Porém, é fácil viver com ele: é um companheiro ameno, animado, divertido, bom conversador nos seus momentos de euforia, sobretudo quando está à mesa, em boa companhia e o vinho corre em abundância. Mas quando está de mau humor ou má cara, é difícil alegrá-lo; mais vale esperar que lhe passe e, para ganhar tempo, dar o primeiro passo no momento em que começa a descontrair-se.



(Continua...)
Texto do Livro . 1000 Formas de Interpretar o Seu Horóscopo




sábado, 7 de agosto de 2010

PREVISÃO SEMANAL DO TAROT




Previsão do Tarot de 8 a 14 de Agosto de 2010






CARNEIRO

O Eremita - A Justiça - O Carro

Durante esta semana não há muita ternura nas suas relações afectivas. Simbolizado pela Justiça o seu ambiente afectivo parece frio e distante. Por um lado, o Eremita que o/a representa não o/a convida a fazer grandes provas de afecto perante as pessoas amadas. Parece que todo o mundo prefere ficar no seu canto, sem fazer ou dizer demasiado. Porque não? Tente de todas as maneiras dar uma palavra terna.
Na sua vida profissional apetece-lhe ser alegre e actuar por impulsos, mas a Justiça vigia e acalma os seus ardores. Neste contexto socioprofissional, recuperará rapidamente os seus pontos de referência. Os seus impulsos são controlados pelo seu ambiente, que contribui em manter um equilíbrio positivo entre a sua fogosidade e o que é razoável ou não.

TOURO

O Carro - A Roda da Fortuna - A Justiça


Quer movimento na sua vida sentimental? Pois esta semana vai estar servido (a). Entre o dinamismo que lhe traz o Carro e as oportunidades que lhe oferece a Roda da Fortuna, o que terá que fazer é escolher para se divertir: estimulantes encontros, novas relações, intercâmbios apaixonados, com o seu par; vai a cem à hora no amor!
No trabalho as coisas evoluem favoravelmente para si. A Roda da Fortuna propõe-lhe surpresas e boas notícias, e a Justiça guia-o (a), permitindo-lhe fazer mudanças com seriedade. Tudo isto é muito positivo, pois combina sorte e eficácia. É o momento ideal para aproveitar uma boa oportunidade e fazer evoluir favoravelmente a sua situação material.

GÉMEOS

O Diabo - A Temperança - A Morte

Esta semana os seus intercâmbios afectivos representam muito amor. Será menos impulsivo (a), buscará relações sinceras e calorosas. A Temperança acalma o fogo do Diabo e permite reconciliar-se com um ser próximo, consolar um amigo, desenvolver relações harmoniosas em família. É a doçura e o encanto personificado!
Quanto ao trabalho, o ambiente está calmo. Acaba de passar por um momento de tranquilidade e a actividade volta mas devagar. Dito isto, a tirada da Morte e da Temperança deve incitá-lo (a) a considerar o provir profissional com confiança. Não haverá brilho imediatamente, mas o período apresenta-se prometedor e gratificante. Não perca a cabeça!

CARANGUEJO

O Carro - O Imperador - A Imperatriz

A fogosidade é algo bom no amor mas, a agressividade é outra coisa! Durante esta semana espreita-o (a) o perigo. A energia do Carro e do Imperador é tão poderosa que poderá provocar em si um humor conquistador e um comportamento dominante. Convém-lhe portanto, cultivar a acção e o entusiasmo nas tuas relações sem pressionar o outro. Terá de saber moderar a sua autoridade.
No trabalho pode apostar no êxito. O Imperador e a Imperatriz abrem-lhe um caminho real para a estabilização da sua situação e a concretização dos seus objectivos. Progredirá com determinação e inteligência esta semana. Pode esperar ter alguns êxitos no ambiente profissional – pressente-se uma ascensão.

LEÃO

A Lua - A Sacerdotisa - O Diabo

Esta semana a Lua torna-o (a) sensível e romântico (a), enquanto a Sacerdotisa convida a mostrar-se discreto (a) e paciente. Esta tirada sugere que fantasia com uma relação que poderia encaixar na sua visão ideal de amor, mas que não se atreve a falar com a pessoa em que pensa. Tem por acaso a sensação de que o (a) espera uma desilusão?
Profissionalmente, a Sacerdotisa e o Diabo, mostram, que para solucionar um problema, se vê tentado a simplesmente negá-lo. A sua atitude é de falta de coragem e franqueza. Pegue o touro pelos cornos e atreva-se a confessar os erros, um mau resultado ou uma debilidade. Talvez um amigo lhe dê uma ajuda.

VIRGEM

A Lua - A Estrela - A Imperatriz

Uma semana em que beneficia de um terno ambiente afectivo, relaxante e tranquilo. A aliança da Estrela e da Lua oferece-lhe um céu luminoso, onde os seus sentimentos brilham como astros. O amor está aí, a amizade também e os novos encontros trazem-lhe muita satisfação. Aproveite este tempo dedicado à felicidade para ganhar confiança no seu poder de sedução.
Na sua actividade a Imperatriz e a Estrela facilitam a semana. É dinâmico (a), voluntarioso (a) mas não avança sem ter em conta o seu meio profissional. A sua boa estrela proporciona-lhe um maior conhecimento de si mesmo e dos demais e permite-lhe adoptar atitudes justas para fazer ceder toda a adversidade e pressão. Vai por um bom caminho.

BALANÇA

A Lua - A Força - O Diabo

A aliança da Força e da Lua, indica que esta semana controla as suas emoções com perfeição. Está tão seguro (a) dos seus sentimentos, como os do seu par. É esta união perfeita dos vossos dois corações que faz com que a vossa relação cresça em poder. Espera-vos um novo nível, o de um laço forte que lhe permite olhar com serenidade na mesma direcção.
No trabalho a Força está em si, mas também o Diabo. Este último oferece-lhe o gosto do poder e da dominação. Pouco preocupado (a) pelo amor-próprio dos seus colaboradores, tenta brilhar só você no cenário profissional e atribuir a si todo o mérito do seu êxito. Aprenda a partilhar ou encontrará inimigos no trabalho.

ESCORPIÃO

O Enamorado - O Enforcado - A Imperatriz


Esta semana haverá muitas dúvidas e frustrações no amor. Nem O Enforcado, que o/a põe numa situação incómoda, nem o Enamorado que representa a dúvida, o/a ajudam nas suas relações afectivas. A sua presença é símbolo de uma pequena crise sentimental, de uma dupla proposta ou de uma escolha que poderá pô-lo (a) numa situação comprometedora. Afaste-se, esta situação não vai durar muito.
Na sua actividade tem a sensação de que não reconhecem os seus méritos. Apesar dos evidentes talentos oferecidos pela Imperatriz, o Enforcado estropiará a apreciação que os seus colaboradores ou sócios terão de si. Fará as coisas correctamente e dir-lhe-ão que as fez mal.

SAGITÁRIO

O Louco - A Estrela - A Lua

A sua vida afectiva esta semana está aclarada com a luz da Estrela associada com o Louco, prova de ternura, doçura e harmonia, depois de um período de dúvidas. Pode até ser que inclusivamente renuncie à sua amada liberdade para casar com o seu amor. Está com um humor positivo e optimista que o/a faz parecer muito agradável aos olhos dos outros.
No aspecto profissional dispõe de fabulosas armas se exerce uma profissão relacionada com a criatividade, arte, beleza e decoração. A aliança celeste da Lua e da Estrela, enchem-no (a) de sensibilidade estética fora do comum. A sua imaginação impulsiona-o (a) através de territórios imaginários e inéditos, trabalhando com um toque de genialidade. Alguns chamar-lhe-ão “Picasso”!

CAPRICÓRNIO

O Carro - A Lua - A Estrela

Esta semana está semeada a discórdia na sua cabeça e na das pessoas que ama. Haverá muitas situações incertas, raros sentimentos e falsas intenções neste contexto lunar. Por mais que amplie toda a sua energia para ver mais claro, de nada serve. Duvida do outro, o outro duvida de si, duvida de si mesmo e o outro duvida também dele próprio. Isto não é simples nem agradável para os seus amores.
Por outro lado, criatividade amiúde no trabalho. Tem uma boa ideia por minuto mas, o problema revelado pela tirada da Estrela e da Lua, faz com que lhe custe passar da teoria à prática. Falta-lhe realismo e podem censurá-lo (a). Se tem uma profissão artística então fará maravilhas.

AQUÁRIO

A Imperatriz - O Enforcado - A Sacerdotisa

Protegido (a) pela Imperatriz não lhe faltam armas esta semana para seduzir todo o mundo. O que lhe falta é constância nos seus esforços. Sob a influência do Enforcado, que o/a põe numa situação incómoda, é-lhe difícil empregar-se a fundo. Avança um passo e retrocede dois. Cuidado, pode haver algumas pessoas que o/a apreciam e renunciem a ver mais além.
Na sua vida profissional, sente que não tem a liberdade de acção necessária para terminar o trabalho desta semana. O Enforcado coloca-o (a) numa situação incómoda, introduzindo atrasos e bloqueios contra os quais não pode fazer nada. Há sentimentos de impotência e desânimo garantidos.

PEIXES

A Imperatriz - O Sol - O Mago

Há euforia no amor esta semana. Sob a influência do Sol e da Imperatriz, só lhe apetece uma coisa: gostar de todas as pessoas com que se cruza e o mais incrível é que conseguirá, pois o seu encanto está no nível mais alto. Tudo isto pressagia encontros, êxitos e claro, amor.
No seu meio profissional brilhará pela inteligência e pela criatividade, iluminado (a) pelo Sol, e pela dinâmica, graças ao Mago. A sua jornada desenvolve-se no melhor contexto socioprofissional. Tem os meios necessários para alcançar os objectivos que se propõe realizar com êxito e os projectos que iniciou há pouco. Aproveite!





Desejo-vos uma óptima semana cheia de alegria e muita felicidade.





terça-feira, 3 de agosto de 2010

SATURNO






Signos de dignidade – Capricórnio e Aquário
Detrimento – Caranguejo
Exaltação – Balança
Queda – Carneiro
Dia da semana – Sábado
Metal – Chumbo

Palavras-Chave – Limites, controlo, consolidação, estrutura, fronteiras, frivolidade, conservação, força, disciplina, direcção, sabedoria, resistência, carma, sombra, autocondenação, tempo, medo, negação, provação, responsabilidade, mentor.

Saturno leva 29 anos a completar um ciclo do Zodíaco.
Sendo o planeta mais remoto do sistema solar conhecido pela astrologia antiga, Saturno é o último dos planetas “pessoais”.
Na Astrologia Tradicional, é conhecido como o Grande Maléfico.
Na mitologia Grega, Saturno é Cronos, a palavra grega para tempo. Saturno rege o tempo, o envelhecimento e os seus efeitos.
Saturno é conhecido como o Pai do Tempo e com a idade avançada, fronteiras, limites e morte. Isto é ainda ilustrado pelo facto de Saturno ser o inimigo do Sol e da Lua, as luzes da vida, sendo fraco nos seus signos de dignidade – Leão e Caranguejo, respectivamente.
Frio, duro e implacável, Saturno aponta o caminho do dever e do destino. Severo empreiteiro, na astrologia medieval simbolizava o limite do conhecido e ainda hoje simboliza fronteiras e limitações.
Saturno representa a lei e a ordem pública a vários níveis: pessoal, social, colectivo, cármico e cósmico. Está relacionado com a convenção e a manutenção do statu quo, com a burocracia e o governo.
A posição de Saturno no signo no mapa natal, mostra como uma pessoa deve assumir a responsabilidade e desenvolver a maturidade e a disciplina.
Pela regência natural de Capricórnio, Saturno é um importante factor na determinação da carreira. A sua posição nos signos pode oferecer importantes indícios sobre o tipo de trabalho mais adequado para uma pessoa e a carreira que provavelmente irá seguir. As pessoas com Saturno fraco, geralmente não progridem facilmente na sua carreira.
A posição de Saturno também indica o tipo de responsabilidades que uma pessoa é forçada a enfrentar e as lições que precisa aprender. Os assuntos regidos pelo signo em que Saturno se encontra são questões especialmente importantes para o indivíduo, pois, com Saturno, ele aprende, através do trabalho árduo e da disciplina, a lidar com muitas dificuldades em diversos sectores da sua vida. É dessa maneira que ele encontra a ordem e a segurança.
Saturno nos signos mostra como uma pessoa busca status e reconhecimento – as áreas em que tenta realizar algo de valor duradouro aos olhos do mundo. Ao ter sucesso e evoluir, ela escala mais um degrau, e Saturno encarrega-se de fazê-la carregar o seu próprio fardo.
Com Saturno, lutamos com as duras realidades da intensa manifestação física; assim, a posição de Saturno no signo indica onde existem possibilidades de enfrentarmos dificuldades e limitações. Aprendemos que Roma não foi construída num só dia, que a realização de uma ideia exige tempo e trabalho árduo. Por meio da concentração e da aplicação envolvidas neste processo, desenvolvemos a nossa capacidade de discriminação, força de vontade e paciência. Esses são alguns dos fundamentos para o desenvolvimento da verdadeira espiritualidade.
Saturno nas casas indica os sectores na vida onde a pessoa precisa aprender a agir com disciplina. Ele mostra as circunstâncias práticas que exigem responsabilidade do indivíduo, forçando-o a amadurecer. Mostra como deve construir a estrutura que falta em alguns sectores da sua vida e como irá manifestar a sua ambição.
Saturno na saúde governa os ossos – vértebras e articulações, pernas, joelhos e pés, dentes, baço e bexiga. Predispõe a doenças de evolução lenta, as oclusões intestinais e uretrais, ao cancro, cáries, hérnias, paralisias dos membros, sarna, psoríase, eczema.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...